segunda-feira, 24 de maio de 2010

Uma carta... Pra mim?

Você pisa, eu ponho o passo
Como um bicho no seu rastro
Farejando, xeretando
No compasso dos seus passos
Põe o salto, tira sarro
Toda linda, requebrando
E eu louco apaixonado
Pra essa fêmea me humilhando...
Lá vai ela toda prosa
Ora é espinho... Vez é rosa
Faz de mim seu prisioneiro
Minha fada orgulhosa!
Que mistério tens tu,
Que me aprisiona e me domina?
No seu corpo tem um néctar
Que o sabor me alucina.
Ao provar do seu sabor
Sei que a morte é a minha sina!
Em seus lábios tem veneno
Arsênico... Cocaína...
Mas eu morro de overdose
No seu corpo de menina.
No palco de seda valsamos...
Desfaleço no seu seio Arfante
Meu castigo é te amar
Pior ainda é ser cônscio
Que em meus braços tu estás
Porém sua alma... Está distante...

***Nunca magoe uma mulher a ponto de perder seu amor, pois o que restar dele pode ser seu maior castigo...



 Autoria: "Rose Sousa"

(DIREITOS RESERVADOS)

Google+ Badge