terça-feira, 23 de agosto de 2011

Apaixone-se

                                              Ainda que seus sentimentos sejam pisoteados...
                                              Sonhe e viva como se nada houvesse lhe atingindo,
                                              Mesmo que os vagões da frieza tiver te esmagado... 
                   Apaixone-se por você! Seja mais você!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Um passeio inesquecível...


  
Ao tocar os pés na areia uma onda eletrizante percorreu todo meu corpo. O lugar estava deserto. Parei por um instante no quebra ondas, fechei os olhos... Abri os braços sentindo a brisa suave que me tocava delicadamente. A natureza parecia cantar... Uma orquestra sinfônica que me convidava à vida. Descalcei as sandálias e comecei uma caminhada pela praia.
         As aves revoavam em movimentos circulares ao constatar, de súbito, a presença do meu cão. O bichinho estava inebriado tanto quanto eu por aquela tarde mágica. Corria de um lado para o outro agilmente. Convicto disso disparava no encalço das aves, quase desaparecendo no horizonte. Ao tocar com as patas na água, rajadas jorravam violentamente formando inúmeras gotículas, assemelhando-se a um nevoeiro. Anestesiada pela beleza da cena fiquei parada, sorrindo feito boba.
         Não era uma tarde comum de domingo. Aquela não era realmente uma tarde comum... Por que...? Não sei... Sei que uma magia diferente pairava no ar. Uma paz imedida me invadia e a cada passo algo diferente me tomava deliciosamente... As ondas espumavam exalando seu aroma inconfundível. Muitas vezes eu fizera o mesmo trajeto e não tivera a mesma sensação.
         Apesar de ensolarado estava uma tarde com temperatura bem amena. Continuei com passos lentos, porém decididos, uma leve sensação me fazia acreditar que eu chegaria a um outro lugar... Outra dimensão. Mas que lugar seria esse...? Inconsciente eu me perguntava. Que lugar seria esse que meu coração tanto almejava estar...? É como se meu coração estivesse em outra parte do mundo e me deixado só comigo mesma. Ofegante, parei. Deixei que meu corpo caísse totalmente entregue àquele momento...
         Sentei-me sobressalta! Pois, no crepúsculo dourado surgiu um ser indecifrável. O andar vagaroso me despertou a atenção. Se não tivesse consciência da minha própria teimosia, confesso que morreria de medo. Mas não... Permaneci imóvel com os olhos fixos na figura soberana. O perfil se desenhava na medida em que se aproximava. Eu, inutilmente brigava com o vento tentando afastar dos olhos os meus cabelos. Temendo o que poderia acontecer fiquei em sentido de alerta. Dividida entre fugir ou ficar, mal notei que a silhueta misteriosa caía de joelhos diante de mim cravando-os na areia. Os cabelos molhados respingavam por sobre os ombros. Senti o poder daqueles olhos sobre mim e estremeci. Fora muito rápido.Tentei ignorar o toque daquelas mãos quentes e fortes. Mas já era tarde... Meus lábios foram tomados por um longo beijo... Um beijo suave e ardente. Correspondi com toda paixão existente em mim... Era o meu amor que veio para mim... Compartilhávamos do mesmo sentimento, entreolhávamo-nos ao mesmo tempo em que acariciávamos a face um do outro.  O silencio espraiava sonolento quebrado vez em quando pelo piar aflito de uma ave em busca do seu ninho.
         ...Abrindo os olhos contemplei a areia branca que brilhava pálida sob uma lasca de lua. O mar brumoso liberava seu perfume me trazendo à tona, de volta à realidade. Não sei por quanto tempo dormi ali, estirada na areia. Sei que era tão real que não queria que se dissipasse aquele momento. Não havia me dado conta do quanto me distanciara do ponto de partida, arrebatada ao paraíso sentia um frio deslizando pela minha pele provocando ondas de desejo... Desejo pela vida... Encontro... Ausência... Presença... Sei lá! Loucuras de nós seres humanos que às vezes nem mesmo nós somos capazes de nos compreender...

               All Rights Reserved 2010 Copyright © Rose Sousa. 

Google+ Badge